SINPROF suspende início de nova greve

O Sindicato Nacional dos Professores (SINPROF), decidiu suspender o início da terceira fase da greve, que estava prevista para acontecer entre os dias 3 a 31 de Janeiro do próximo ano.

Durante as assembleias provinciais, em que participaram um total de 7.498 professores, pelo menos 3.751 agentes do ensino, representando 51 por cento, votaram a favor da moratória à entidade empregadora, até ao dia 16 de Janeiro de 2023.

O secretário-geral do SINPROF, Admar Jinguma, explicou que, com a referida decisão da suspensão do início da greve a 3 de Janeiro, aguarda-se pelos resultados de uma reunião com o Ministério da Educação, marcada para o próximo dia 16.

A decisão da suspensão da data de início da terceira fase da greve, segundo Admar Jinguma, foi tomada durante a reunião, que visou informar os resultados do encontro com o Governo, que ocorreu a 15 deste mês, durante o qual a entidade patronal solicitou uma moratória até ao dia 16 de Janeiro, para a apresentação de novas soluções dos problemas constantes no caderno reivindicativo.

Como causa da greve, os sindicalistas apontam as promoções ou actualização de categorias, monodocência na 5ª e 6ª classes, distribuição da dívida da merenda escolar, promoção de carreiras e a redução do IRT, num conjunto de dez pontos do caderno reivindicativo.

Em 2019, o Sindicato tinha remetido um caderno reivindicativo, com 12 pontos, e decorreram conversações directas entre ambas as partes, que resultaram no atendimento de sete pontos.

Das explicações, o Ministério da Educação (MED) avançou que as questões da monodocência, merenda escolar e promoção ou actualização de categorias estão a ser solucionados.

O SINPROF já realizou duas das três fases previstas de paralisação de aulas, sendo que a primeira ocorreu de 23 a 30 de Novembro e a segunda de 6 a 16 de Dezembro deste ano.

Fonte: Jornal de Angola

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: