Filho de Savimbi apela à paz e ao respeito aos resultados eleitorais e reprova campanha “VOTOU, SENTOU” promovida por ACJ

Kanganjo Tão Savimbi, que é filho do fundador da UNITA, Jonas Savimbi, recorreu às plataformas digitais para deixar uma mensagem de apelo aos angolanos, que irão mais uma vez participar do exercício democrático que são as eleições gerais, agendadas para o dia 24 do corrente mês, para que não se deixem manipular pelos concorrentes que pretendem estragar a festa da democracia, em caso de derrota. Afirmou que REPROVA a campanha lançada pelo presidente do seu partido (UNITA), que tem promovido o slogan “VOTOU, SENTOU!”, destacando igualmente a NÃO NECESSIDADE DE PERMANÊNCIA NAS ASSEMBLEIAS DE VOTOS, para evitar qualquer indício de provocações às forças da ordem.

O filho de Jonas Savimbi defende que o exercício democrático (eleições) deve ser feito no melhor clima possível, e deve estar, acima de tudo, resumido à defesa do interesse nacional, e não propriamente na defesa, a qualquer custo, de interesses pessoais (fazendo referência aos candidatos que têm demonstrado alguma obsessão em chegar ao poder, sem medir as consequências das incitações negativas que têm promovido).

Fontes na UNITA confirmam que o filho de Jonas Savimbi é defensor da paz e tem manifestado, durante as reuniões da UNITA, que os caminhos trilhados pela actual liderança do partido não têm sido os mais adequados, sendo ele uma das altas figuras do partido que reprovaram a aliança entre ACJ e a “família dos Santos”, que no seu entendimento, é uma visão contrária a de Jonas Savimbi, que defendia o combate à corrupção, e não permitiria uma aliança com marimbondos, que estão a tentar escapar das responsabilidades dessas más práticas. Sabe-se também que Kanganjo Tão Savimbi é uma das figuras mais importantes da UNITA, considerando que o actual líder (ACJ), a semelhança das suspensões que tem aplicado a outras figuras da UNITA, não consegue fazer o mesmo ao filho do líder fundador do partido, que em 2019 afirmou categoricamente que ACJ não é a pessoa certa para a UNITA, tendo na altura apoiado a candidatura de Alcides Sakala na corrida à presidência do partido.

“Caros companheiros, o voto de quarta-feira, deve ser, sobretudo, um voto patriótico… eu voto na continuidade”, afirmou Kanganjo Tão Savimbi. Será que ao realçar “continuidade” estava a referir-se a um suposto apoio à renovação do mandato de João Lourenço?

Sabe-se que na UNITA há uma ala composta por altas figuras, da qual faz parte o outro filho de Jonas Savimbi, Rafael Massanga Savimbi, que de acordo com as declarações de alguns militantes da UNITA, é uma das altas figuras do partido que tem criticado o “atropelamento” da ideologia tradicional da UNITA, que agora, durante a gestão de ACJ, tem feito alianças com elementos apontados como corruptos (marimbondos que querem escapar do combate à corrupção e fugiram do MPLA), que jamais teriam contacto com Jonas Savimbi, que sempre condenou tais práticas. Entretanto, Jonas Savimbi já não está cá para defender a UNITA que assumiu uma versão bem diferente da original, promovida pelas aspirações pessoais de Adalberto Costa Júnior, que parece estar mais preocupado em satisfazer figuras externas à UNITA.

Kangandjo Tão Savimbi realçou também que os concorrentes às eleições gerais do dia 24 devem pautar pela manutenção da paz, e com isso, devem aceitar os resultados apresentados, sem qualquer tendência de criar caos no país. O filho de Jonas Savimbi afirmou que é contra a campanha que tem sido promovida por Adalberto Costa Júnior denominada “VOTOU, SENTOU”, pois acredita que esta seja uma das formas de incentivar as pessoas quanto à prática de acções de vandalismo que podem igualmente motivar a intervenção das forças da ordem, e com isso, despoletar um clima de instabilidade social, o que não seria bom de se ver, num momento que os angolanos estão expectantes em participar da maior festa da democracia.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: