Sabedoria de Samakuva minimiza CRISE interna da UNITA e pode direccionar o partido nos melhores caminhos

Circulam nas redes sociais áudios de uma actividade da UNITA, na qual foram abordadas questões relativas à actual situação de CRISE que se vive no partido, bem como algumas considerações de Isaías Samakuva sobre a “não intenção de aproveitamento da ilegalidade de ACJ” para tomada da posição de Presidente de forma permanente.

É de conhecimento geral que a UNITA atravessa um dos piores momentos da história do partido relativamente à “saúde interna” que se encontra numa fase crítica desde a suspensão do anterior congresso (XIII) que culminou com a “anulação da presidência de ACJ”.

Com o regresso de Samakuva ao cargo de presidente da UNITA, ainda que temporariamente, cogitou-se muito que o mesmo tinha interesse em ficar definitivamente nessa posição, chegando ao ponto de ser apontado como “cúmplice do MPLA”. Com o passar do tempo, Isaías Samakuva foi demonstrando muita calma e rigor no seguimento dos aspectos legais para não deixar que factores emotivos comprometessem novamente as aspirações do Partido.

De acordo com o disposto no áudio, ficou clara a ideia de que Isaías Samakuva é um dos quadros mais sábio e sensato que a UNITA dispõe, sendo que o mesmo, no áudio, frisou que “nunca pretendeu tomar o lugar do então presidente da UNITA, tampouco pretendia tirar proveito da situação condicionava a continuidade do anterior presidente. Mostrando maturidade política, Samakuva disse que “se tivesse interesse em tomar o lugar de presidente do partido, não convocaria o Congresso e alimentava ainda mais a actual crise”, contudo, defende que a legalidade deve ser reposta e ao mesmo tempo critica a CRISE e DIVISÃO que se verificam no partido, e por outro lado apela ao controlo das emoções no seio dos militantes da UNITA, evitando assim situações que podem atrasar o partido na realização dos seus programas. Finalizando, pediu união e serenidade, sem deixar de sublinhar a importância de uma boa convivência interna visando a garantia de um exercício partidário saudável.

Importa realçar que nesse momento há militantes do mais alto escalão da UNITA que encontram-se suspensos, com realce a José Eduardo e Catchiungo, que segundo as nossas fontes, já estão a preparar os processos que serão remetidos ao TC visando a impugnação do XIII Congresso da UNITA pela segunda vez.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: